fbpx

Como escolher o melhor ortopedista?

Uma dor que incomoda ao andar? Ou na coluna? Ou talvez a panturrilha esteja ardendo antes mesmo de uma atividade física? Estas são atribuições de um ortopedista, um dos médicos responsáveis por  cuidar do corpo com lesões ou de forma preventiva. Entenda mais sobre essa especialidade e saiba como escolher.

O que faz a ortopedia?

Ortopedia é a especialidade da medicina responsável por tratar do sistema locomotor. Estão aí envolvidos a coluna vertebral, os ossos do corpo e músculos. Eles podem ser analisados isoladamente (lesão local) ou em conjunto (problemas de postura, por exemplo).

O trabalho do ortopedista é identificar e tratar lesões no sistema locomotor. Elas podem ser aparentes (inchaços ou manchas) ou ocultas. Neste caso sentimos a dor mas não conseguimos identificar a lesão a olho nu. 

Esta especialização da área médica pode ser feita após o profissional se tornar clínico geral. Neste caso ele leva entre 2 a 3 anos estudando para ser um ortopedista e pode atuar nas áreas clínicas, cirúrgica e reabilitação.

Critérios para escolher um bom ortopedista

A escolha de um bom médico vai muito além de simpatia e ter um diploma no consultório. Esses seriam critérios essenciais e básicos. Sendo assim, alguns pontos (mesmo mínimos) podem te ajudar a escolher o melhor de acordo com o seu problema. São critérios importantes:

A sub especialidade

Todo ortopedista pode se especializar em uma parte do corpo específica, o que é um grande diferencial.

Um ortopedista pode ser especialista em ombros e ajudar no trato de lesões por deslocamento, por exemplo. Há ainda especialistas em quadril, em coluna e em lesões por esforço. Saber a área a qual o seu médico se dedicou pode ser de grande ajuda no tratamento.

Se ele é cirurgião

Para uma consulta clínica não há problema. Porém, caso a sua comorbidade necessite de cirurgia e você já tenha tido esse diagnóstico, já isso pode afunilar a sua busca.

O histórico de tratamentos 

Existem médicos tão bons em tratar alguns tipos de lesões que se tornam especialistas no assunto. Este histórico fornecido por outros pacientes ou indicação de parceiros da medicina é crucial na busca por um bom ortopedista. 

Acompanhando diversos pacientes em um tratamento específico, o profissional adquire experiência. Além do que ele pode comparar casos, profilaxias que funcionaram ou prever problemas durante a trajetória na busca da cura.

Escuta o paciente

Ouvir é crucial para um bom médico, já que eventualmente o problema é tratado mas ele retorna porque a causa não foi sanada. Às vezes o motivo de uma lesão surge em uma conversa prévia antes do exame físico. Ouvir o paciente e seus relatos é importantíssimo e um excelente ponto de partida na consulta.

É preciso consultar um ortopedista preventivamente?

Este é o tipo de médico que só precisa ser consultado em caso de dores ou lesões. Nosso sistema locomotor foi elaborado para funcionar bem de forma natura. Ou seja, a sincronia dos músculos e ossos no sistema locomotor é perfeita se tudo estiver OK.

Sem doenças (visíveis ou não) seu funcionamento será pleno em movimentar o corpo com os comandos cerebrais.  Em outras palavras, sem dor ou inchaço, o ortopedista não precisa ser consultado.

Clínico geral ou especialista: como saber com quem consultar?

Uma dor incômoda e que vem se agravando pede uma visita ao médico. Ou quem sabe uma mancha na pele. Mas para qual médico marcar uma consulta: clínico geral ou especialista? Entenda as diferenças entre os dois tipos de profissionais de medicina e saiba qual pode te atender melhor.

O que é um clínico geral?

Clínico geral é o médico com entendimento para analisar o corpo humano como um todo. Ele não está focado em tratar apenas um único órgão porque seu estudo foi feito para compreender todo o organismo e sua perfeita harmonia de funcionamento. Ele é então um ‘generalista.’

Todos os estudantes de medicina estudam na universidade ou faculdade e se graduam como clínicos gerais. Eles podem atuar em hospitais em atendimento de emergência, clínicas e até em cirurgia se sua especialidade for a cirurgia geral.

E o que seria então um médico especialista?

Um médico especialista é aquele focado no funcionamento e diagnóstico de doenças de um único órgão. Em outras palavras, ele sabe tudo sobre o funcionamento do corpo humano como um todo mas preferiu focar na sua carreira em um único órgão.

Tais profissionais passaram pela clínica geral após saírem de suas residências mas foram além e se especializaram. São exemplos os cardiologistas, dermatologistas, psicólogos, pediatras, endocrinologistas, dentre muitos outros.

Quando procurar um clínico geral?

Infelizmente nosso corpo é um grande quebra-cabeça quando se trata de doenças e direcionar tratamento. O mesmo sintoma pode ser indicativo de diversas condições clínicas. Febre e dores musculares são grandes exemplos disso. Quando não se sabe exatamente o que está incomodando a melhor dica é procurar um clínico geral.

O trabalho do clínico geral é diagnosticar o problema e realizar o tratamento ou encaminhar para quem possa. Algumas condições são gerais e bem simples como uma dor de barriga causada por infecção intestinal, por exemplo. Após a constatação do problema por meio de exames o médico indica a medicação e acompanha o tratamento.

Os casos em que o especialista é o mais indicado

Especializar-se em um único órgão fornece algumas vantagens ao médico. Ele pode tratar melhor de condições clínicas graves, analisar medicações modernas e novas descobertas no universo da medicina. Ser especialista quer dizer “saber um pouco mais que um médico generalista”.

E são só especialistas os focados em um tratamento bem específico e mais cauteloso de algumas doenças. Um clínico geral pode, por exemplo, tratar uma pressão arterial elevada com medicação. Contudo, quem poderá observar se é um problema crônico ou temporário com um tratamento periódico será o cardiologista.

Um especialista costuma debruçar-se sobre o conhecimento de sua área para fornecer o melhor a seu paciente. Todo o seu tempo é dedicado a uma especialidade, por isso ele tem por obrigação ser melhor nesse órgão do corpo humano em comparação a um clínico geral.

Posso consultar diretamente um especialista?

Se você se sente seguro diante dos sintomas em tratar primeiro com um especialista, pode procurá-lo diretamente sem problemas. Na verdade, esse é um costume bem brasileiro: ir direto a um especialista. Já marcamos uma consulta no endocrinologista, por exemplo, quando desconfiamos de um mal funcionamento da tireoide.

Não há problema em ir direto ao médico que você acha ser capaz de cuidar da sua doença. Um bom profissional da área de saúde investiga as condições clínicas por meio de exames. Então, caso a sua suspeita esteja errada haverá encaminhamento para outro profissional. No máximo há uma perda de tempo, mas há uma oportunidade de checar outras áreas do corpo também.