fbpx
trombofilia

Trombofilia na gravidez: quais são os principais cuidados

Trombofilia na gravidez: quais são os principais cuidados

Você sabe o que é a trombofilia? Esta é uma doença que se manifesta em mulheres grávidas. O sangue forma coágulos, entupindo a circulação dos vasos sanguíneos.

Esta anormalidade requer muita atenção médica e tratamento especial durante os nove meses de gestação. As complicações variam de uma trombose nas pernas e outros membros, com inchaço, vermelhidão, dores, dilatação das veias, até complicações como embolia pulmonar, levando o óbito na mulher.

A trombofilia na gravidez pode levar a abortos precoces, morte fetal e prematuridade. Isto acontece porque mesmo quando o óvulo fecundado se fixa na parede uterina, o feto não consegue se desenvolver plenamente.

Inclusive, quando a doença ocorre em gestantes, um dos sinais mais visíveis é o crescimento anormal da barriga, que cresce pouco.

A doença causa a oclusão dos vasos, responsáveis pela formação da placenta, dificultando a passagem dos nutrientes. Já com a mãe, uma das complicações que mais precisam ser levadas a sério é a embolia pulmonar (para quem não sabe, quando as artérias do pulmão ficam obstruídas), podendo causar a morte.

Cuidados especiais

Para diminuir a prevalência da enfermidade, é preciso identificar o mais rápido possível os fatores de risco. O ideal é realizar testes laboratoriais simples, confiáveis e baratos, pois o diagnóstico precoce favorece melhores resultados. O exame pode ser solicitado para mulheres com histórico familiar e a partir de três abortos espontâneos.

O teste é realizado por meio de exame de sangue, capaz de identificar mutações genéticas em relação à coagulação sanguínea. Recomenda-se que a mulher faça uma avaliação diretamente com o cirurgião vascular e, em caso positivo, o tratamento precisa ser iniciado o mais rápido possível com a administração de anticoagulantes.

Estes medicamentos restabelecem a coagulação sanguínea adequada e ajudam a evitar a trombose. A prescrição é feita de acordo com as características de cada quadro. O tratamento é ajustado para a gravidez e mantido até 24 horas antes do parto. Após o nascimento do bebê, a administração é reiniciada.

Grupo de risco da trombofilia

Correm mais riscos mulheres com obesidade, sedentárias, cadeirantes e fumantes. Especialistas recomendam o uso de meias elásticas de média compressão para estimular a circulação sanguínea e evitar a formação de trombos.

Se possível, em viagem de avião, evitar trajetos com mais de quatro horas. Outro cuidado importante e que pode ser adotado é um acompanhamento médico no pré-natal de forma assídua e rigorosa.

Para as gestantes, ou aquelas que estão tentando engravidar, os obstetras fornecem o respaldo inicial, mas, dependendo dos riscos apresentados, o ideal é fazer o acompanhamento multidisciplinar.

Estudiosos reforçam que nem todas as mulheres com trombofilia chegarão a apresentar trombose durante a gravidez, mesmo assim a condição deve ser acompanhada bem de perto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *