fbpx

Agendamento online: como agendar consultas em alguns cliques?

A praticidade tornou-se um termo comum e constante na sociedade, inclusive na área da saúde, com a denominada telemedicina. Por meio de sites e aplicativos fáceis e práticos de usar, as consultas médicas têm sido mais acessíveis inclusive no agendamento online. Confira a seguir como funciona.

Como agendar consultas online passo a passo

O primeiro passo é encontrar um médico de seu interesse. Ele pode estar disponível por meio de sites ou aplicativos de auto atendimento. Busque um site de sua confiança ou um aplicativo virtual, responsável por prestar o serviço de telemedicina para pacientes. 

Agendamento online em site

No navegador de internet do seu computador ou smartphone, acesse o site de seu interesse e que tenha essa funcionalidade. Digite  www.nomedaclincia.com.br (por exemplo) ou siga as instruções disponíveis na página. 

No geral o modelo é esse:

  • Procure o campo ‘agendar consulta’ e clique  com o botão esquerdo do mouse;
  • Escolha a especialidade:  clínico geral, cardiologista ou dermatologista, por exemplo;
  • Caso possa, escolha por quem quer ser atendido. Caso não, siga adiante agendando a sua consulta.

Analise se na página exibe o horário específico para o atendimento ou se será por espera online. Em caso de espera online, você deve realizar o login um pouco antes do horário determinado e aguardar o contato com o médico na tela. 

Agendamento online por meio de aplicativo

Cada clínica de telemedicina atende de uma forma específica, no entanto, alguns padrões são gerais, para facilitar  o atendimento ao usuário.  

No atendimento online por meio de aplicativo é preciso:

  • Realizar o download gratuito do aplicativo na sua loja do smartphone;
  • Criar um perfil de usuário com seus dados pessoais e responder às perguntas solicitadas;
  • Selecionar qual especialidade está procurando. Caso não exista um campo em específico com essa finalidade, deixe o aplicativo te guiar até o atendimento médico.

Uma dica útil para tornar o atendimento mais prático é deixar anotado em uma folha de papel ao lado, a data do início dos sintomas, medicamentos de uso contínuo e alergias, caso possua.

Um bom exemplo desses aplicativos é o Sarar. No app Sarar você tem acesso às melhores clínicas, agendamento agilizado e até 70% de desconto em exames laboratoriais e consultas de dezenas de especialidades.

E o melhor de tudo: Você não paga mensalidade e nenhuma taxa para agendar sua consulta!

Os benefícios da telemedicina para os pacientes

A ideia de um atendimento médico remoto há 50 anos,  seria assustadora para a maioria. Não ter um médico na sua frente, analisando seus sintomas com o toque da mão, seria inacreditável. 

Hoje é uma realidade, não apenas satisfatória, como benéfica. A telemedicina faz uso de recursos do nosso dia a dia para encurtar a distância entre médicos e pacientes, trazendo inúmeras vantagens. 

Dentre alguns dos benefícios da telemedicina para pacientes podemos citar:

  • Velocidade do atendimento –   em muitos casos,  o paciente  pode ser atendido no mesmo dia do agendamento;
  • Ter atendimento médico em áreas remotas;
  • Praticidade – em especial para quem possui dificuldades de locomoção;
  • Custo baixo – o valor da consulta costuma ser menor, porque os custos do médico é menor em razão da estrutura;
  • Velocidade.

Toda mudança precisa de um período para total aceitabilidade, no entanto, a previsão da Organização Mundial de Saúde (OMS) é uma migração de mais de 60% dos pacientes para o universo da telemedicina em menos de 10 anos.

O que é quarentena e quanto tempo ela deve durar?

A descoberta do novo coronavírus deixou uma palavra em evidência: quarentena. Este foi um dos termos mais usados no jornalismo brasileiro entre março e julho de 2020, o auge da COVID-19 nos veículos de comunicação. Também é um termo importante para quem está se precavendo contra uma doença infectocontagiosa. Saiba mais sobre a quarentena a seguir.

Afinal, o que é quarentena?

Algumas doenças virais possuem o período de contágio. Em outras palavras, o período no qual as pessoas ao redor de quem está doente podem se contaminar. Para evitar que isso aconteça, a medicina criou o que chamamos de ‘período de quarentena’.

A quarentena é uma medida de saúde pública de isolamento para quem está com uma doença infectocontagiosa. O infectado deve, portanto, ficar em um ambiente sozinho para evitar que outras pessoas se contaminem.

Esta medida de segurança foi instituída por meio de estudos sobre o comportamento de alguns vírus. Doenças virais são as grandes responsáveis por uma solicitação médica de quarentena. São exemplos: catapora, sarampo e a COVID-19.

Quanto tempo deve durar uma quarentena?

Apesar de o nome ser ‘quarentena’, estamos falando de um período de isolamento de 15 dias seguidos. O termo ficou em uso porque no início, o afastamento era de 40 dias mesmo. Acreditava-se que só após o período de um mês e uma semana as pessoas não estariam mais correndo risco de contágio.

Com o avanço dos estudos descobriu-se que na verdade não é preciso tanto. Com apenas 15 dias a maioria das doenças já não oferece riscos aos saudáveis. E isso somado ainda ao fato que esta quinzena está com margem de erro. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), com cerca de 12 dias o risco já está quase ausente. Esses três dias a mais são a margem de erro e segurança para garantir uma contagem correta.

Isso porque muitos pacientes não sabem ao certo identificar quando os sintomas iniciaram. Logo, podem informar a data errada e danificam a contagem do período no qual as pessoas ao redor correm risco de contaminação. Se a contagem estiver errada, a quarentena de 15 dias pode ser contada errada também, deixando os outros expostos. Enfim, a margem de três dias minimiza esse risco.

Como deve ser esse período de quarentena?

O isolamento solicitado por médicos para algumas doenças pode ser feito em casa ou no hospital. O determinante para isso é o estado de saúde do paciente. Se há risco de uma piora em casa, um hospital deve ser procurado com medidas preventivas. Pode ser necessário, por exemplo, uma solução de hidratação intravenosa e neste caso, o indicado é se dirigir a uma instituição de saúde.

Já a quarentena em casa deve ser feita com repouso e isolamento total. Se estamos falando de uma doença infecto contagiosa é importante separar todos os itens de uso do infectado. Ele não pode partilhar pratos, copos e talheres, por exemplo, nem toalhas. Deve tomar banho e ficar em um ambiente sozinho. O ideal é que o paciente fique sozinho em casa. Porém, como nem sempre é possível, o isolamento em um cômodo é indicado.

A hidratação e alimentação são importantes para o corpo combater naturalmente a doença. É crucial ainda acompanhar o quadro clínico e, em caso de piora, procurar um médico imediatamente.