fbpx
eficácia vacina contra corona

A vacina contra corona é realmente eficaz?

A vacina contra corona é realmente eficaz?

Há umas semanas atrás foi iniciada a campanha de vacinação contra covid-19 no Brasil e várias dúvidas em torno do assunto surgiram entre a população: ela apresenta efeitos colaterais? Quem poderá tomar? E, afinal, a vacina contra corona é realmente eficaz?

Para a felicidade de todos, as respostas para essas perguntas são, até o momento, bastante animadoras. Afinal das contas, ainda não foram identificados nenhum efeito colateral grave significativo, a grande maioria da população está apta para se vacinar (leia mais sobre o tema aqui) e a vacina apresenta sim eficácia comprovada contra corona.

Separamos uma lista com a eficácia das principais vacinas já divulgadas para que você tenha conhecimento. Confira a seguir.

Eficácia da vacina contra corona

Eficácia da vacina contra corona
Freepik

As vacinas que apresentam resultados mais promissores são:

  • Pfizer e BioNTech (BNT162): a vacina norte americana e alemã apresentou, na fase 3 dos estudos, 90% de eficácia contra coronavírus;
  • Moderna (mRNA-1273): a eficácia dessa vacina norte americana é de 94,5% na fase 3 dos estudos;
  • AstraZeneca e Universidade de Oxford (mRNA-1273): é uma vacina inglesa que apresentou, também na fase 3 dos estudos, eficácia contra coronavírus de 70,4%;
  • Sinovac (Coronavac): essa é a vacina que atualmente está sendo usada na campanha de vacinação no Brasil é chinesa desenvolvida em parceria com o instituto Butantan. A eficácia dessa vacina contra corona é de 78% para casos leves e 100% para casos moderados e graves;
  • Johnson & Johnson (JNJ-78436735): a vacina desenvolvida pelo laboratório da Johnson & Johnson possui eficácia entre 66 e 85%, uma vez que a mesma poderá variar de acordo com o país em que ela é aplicada.

Como é calculada a eficácia da vacina?

A eficácia da vacina contra corona é calculada com base no número de pessoas que desenvolveram a infecção mesmo sendo vacinadas, em comparação àquelas que não foram vacinadas e receberam placebo.

Por exemplo: no caso da vacina de Pfizer, foram estudadas 44.000 pessoas e deste grupo 94 acabaram desenvolvendo o Covid-19, sendo que: 9 eram pessoas que tinham sido, de fato, vacinadas, e as outras 85 eram pessoas que, no lugar da vacina, haviam recebido placebo. Sendo assim, chegaram à conclusão da taxa de eficácia de 90%.

Bom, esperamos que você tenha conseguido compreender qual é a eficácia da vacina contra corona. Caso tenha ficado com alguma dúvida referente a este assunto, basta comentar aqui que nós te esclarecemos.

No mais, continue acompanhando o nosso blog para mais dicas sobre saúde e bem-estar. Te esperamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *