fbpx
doenças respiratórias

Atenção redobrada para doenças respiratórias e a Covid-19

Atenção redobrada para doenças respiratórias e a Covid-19

Todos os métodos de prevenção em relação à Covid-19 devem ser redobrados para quem sofre de doenças respiratórias (bronquites, renites e sinusites).

Por exemplo, pessoas com asma moderada ou grave têm maior probabilidade de apresentar uma doença grave por coronavírus e complicações bem mais graves em caso de contágio. Tanto que a Organização Mundial de Saúde incluiu a doença no grupo de maior risco por ser crônica, levando a uma inflamação broncopulmonar.

Os fumantes também são os mais vulneráveis, pois os cigarros, muitas vezes contaminados, ficam em contato com os lábios, aumentando a possibilidade de transmissão do vírus. Correm sérios riscos também as pessoas que sofrem de pneumonia, condições em que aumentam as necessidades na utilização da ventilação mecânica.

Em casos de complicações sérias, podem levar ao choque, falência de múltiplos órgãos e, em casos mais extremos, a morte.

Sintomas idênticos de doenças respiratórias e COVID-19

Os sintomas da Covid-19 são muito parecidos com outras doenças respiratórias causadas por vírus. Com a pandemia em decurso, os pacientes infectados registram sintomas como febre, prostração e tosse seca. Alguns podem ainda ter dores pelo corpo, congestão nasal, coriza, dor de garganta e diarreia.

Estudos realizados na China, Coreia do Sul e Alemanha constataram ainda perda do olfato e do paladar nos pacientes com infectados pelo coronavírus. Assim, a Associação Brasileira de Rinologia (ABR) orienta o isolamento domiciliar por 14 dias até passar os sintomas, que parecem ser temporários na maioria dos casos. Recomenda-se que pacientes com quadros gripais leves (febre, tosse, coriza, mas sem falta de ar) fiquem em casa e tentem contato com o médico de confiança.

Orientações médicas

Médicos recomendam que portadores de asma e rinite alérgica mantenham seus tratamentos para evitar complicações que podem ser confundidas com os sintomas do Covid-19. Além de tomar todos os remédios, é importante manter a casa arejada e fazer a higiene do ambiente de forma regular.

O isolamento deve ser mais rígido para as pessoas com mais de 60 anos. Por se tratarem de pacientes crônicos, eles devem ser constantemente monitorados por um especialista capaz de orientá-los sobre uso de medicamentos como broncodilatadores e corticoides. A vacinação contra a gripe e doenças pneumocócicas devem ser mantidas e incentivadas, reduzindo o volume da doença na população e a possibilidade da influenza ser descartada com facilidade. Sempre que são registrados surtos de alguma doença infectocontagiosa, a imunização sempre volta a chamar a atenção. Isto porque as vacinas estimulam a produção de anticorpos, agentes de defesa que atuam contra os microorganismos que provocam a enfermidade.

Outras dicas

É fundamental, e sempre bom reforçar: para quem sofre de doenças respiratórias é preciso deixar o sistema imunológico sempre forte. Manter-se hidratado, evitar o fumo e o contato com pessoas resfriadas, mantendo distância e deixar o ar circular em todos os ambientes. É bom lembrar de lavar frequentemente as roupas de cama e deixá-las expostas ao sol, evitando bichos de pelúcia, tapetes e outros produtos com pelo. Respirar sempre que possível pelo seu nariz (e não pela boca), pois as narinas possuem uma função de filtrar o ar e aquecê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *