fbpx
consulta com psicólogo

Consulta com psicólogo: como escolher a melhor abordagem para você?

Consulta com psicólogo: como escolher a melhor abordagem para você?

Certamente você já ouviu falar em consulta com psicólogo, certo? Essa é uma ferramenta que, embora possua muitos preconceitos e tabus por parte da população, apresenta inúmeros benefícios quando se trata de problemas psicológicos e dificuldades emocionais, fazendo com que os indivíduos consigam se conhecer melhor, além de auxiliar no tratamento de inúmeras doenças, como: depressão, ansiedade, TOC, transtorno bipolar, TDAH e outros.

 No entanto, antes de manter sua consulta com psicólogo, é essencial que você conheça quais são as abordagens existentes a fim de escolher a que mais combina com você. E é exatamente este o propósito do nosso post de hoje: apresentar os 7 tipos de terapia para que você possa definir a que mais encaixa ao seu perfil. Vamos lá?

Tipos de terapia na consulta com psicólogo

tipos de psicoterapia - consulta com psicólogo
Saiba quais são os tipos de psicoterapia. | Imagem: Freepik

Na lista abaixo você vai ver quais são as abordagens e tipos disponíveis na psicoterapia para que você possa identificar a que mais combina com você antes de agendar sua consulta com psicólogo. Veja só:

Psicanálise

A psicanálise é considerada a primeira escola da psicoterapia e teve como precursor o médico neurologista e psiquiatra Sigmund Freud durante o século 19. Nela o psicólogo terá como objetivo auxiliar o paciente o resgate e reintegração de conteúdos que estão no seu inconscientes, desde o que já apareceram nos sonhos ou até mesmo aqueles que nunca foram acessados.

Dessa forma, o paciente poderá, a partir do contato com seu inconsciente, entender e lidar melhor com seus conflitos e vivências do presente, a fim de promover o autoconhecimento.

Para que isso seja alcançado, são utilizadas as técnicas de associação livre (onde o indivíduo é conduzido a verbalizar livremente sobre os pensamentos que invadem a sua mente, fazendo com que possa emergir fatos reveladores, os quais não eram de conhecimento consciente da própria pessoa) e as pulsões humanas, uma energia mental que contribui para a estruturação de três aparelhos psíquicos que foram debatidos por Freud: id, ego e superego.

Terapia cognitivo-comportamental

A terapia cognitivo-comportamental foi originada a partir da terapia cognitiva ou behaviorismo. O seu percursor foi o Aaron Beck, médico psiquiatra que, a partir de estudos feitos por Freud, conseguiu notar que a cognição de pensamentos e percepções do mundo estavam totalmente ligadas aos processos de adoecimento psicológico dos indivíduos.

A TCC é considerada uma abordagem diretiva e que pode ser aplicada em todos os tipos de transtornos psíquicos e psicológicos a fim de avaliar os padrões e esquemas mentais dos pacientes até chegar à sua crença central, aquelas que dão origem às suas disfunções comportamentais.

Feito isso e através de ferramentas disponíveis na terapia, o psicólogo poderá então propor uma reestruturação cognitiva ao paciente, a fim de ajudá-lo a modificar as suas crenças e assumir um novo repertório de pensamentos e comportamentos.

Análise Junguiana

A análise Junguiana foi elaborada por mais um nome muito importante para a psicanálise: Carl Gustav Jung. No entanto, ela é diferente do método clássico. Aqui os sonhos passam a ser considerados como uma personificação do inconsciente, fazendo com que a técnica da imaginação afetiva seja utilizada durante a psicoterapia.

Ou seja, o paciente será induzido a liberar suas fantasias para conhecer outros personagens que habitam em sua mente, fazendo com que possam se conhecer melhor. Para isso, a arte como: desenhos, pinturas e outras, é muito utilizada.

Behaviorismo

A psicologia comportamental, também conhecida como behaviorismo, tem como o objetivo analisar e modificar o comportamento do indivíduo. isso porque o seu fundador B. F. Skinner acreditava que as nossas ações dependem das seguintes relações funcionais: estímulo antecedente, resposta comportamental e consequência.

Para que isso seja feito, o comportamento humano passa a ser modificado a partir dos estímulos do ambiente em que estamos inseridos, fazendo com que o processo seja diretivo. O psicólogo então irá avaliar as necessidades do paciente para propor técnicas que o ajudarão a modificar seus padrões de ação que resultarão em melhorias.

Psicologia humanista

A psicologia humanista tem como propósito focar na autoestima do indivíduo. Ou seja, diferente dos outros tipos de terapia aqui apresentados, aqui o objetivo não é tratar neuroses ou identificar as causas de um problema, mas sim de proporcionar um ambiente mais acolhedor ao paciente para que ele consiga crescer e alcançar o melhor de si.

Para que isso seja atingido, um dos principais pilares da psicologia humanista é a aceitação incondicional. Isso é, o indivíduo precisará entender que ele só conseguirá mudar quando ele passar a entender e aceitar o que ele realmente é. Para entender melhor como isso funciona, tenha como exemplo a recuperação de dependentes químicos que apenas conseguem buscar tratamento quando admitem que possuem o problema.

Fenomenologia

A fenomenologia foi fundada por Edmund Husserl durante o século 19 e é considerada uma das principais abordagens terapêuticas. Ela busca entender os indivíduos como “um ser no mundo”, o qual não consegue escolher quais serão suas condições existenciais, mas que ao mesmo tempo isso não o torna passivo.

Ele tem consciência de suas intenções e responsabilidade pelo que é e faz. Com isso, o esse tipo terapêutico propõe ao indivíduo a compreensão do significado de sua existência, além de torná-lo responsável pelo seu destino, através de abordagens e atividades terapêuticas.

Terapia Gestalt

Criada pelos teóricos Fritz Perls, Laura Perls e Paul Goodman, a Gestalt-terapia tem como princípio fazer com que os indivíduos consigam criar maior consciência, a fim de evidenciar os aspectos de si que são pouco relevados e promover a aceitação de sua experiência de estar no mundo.

Através da consulta com psicólogo gestaltistas, o objetivo não é mudar os seus pacientes. Na realidade, a verdadeira intenção será incentivá-los se concentrarem em se tornarem mais conscientes de si mesmos, permanecendo presentes e contribuindo para que as coisas possam ser processadas no aqui e no agora.

Com isso, através do aumento da conscientização o paciente poderá identificar os seus bloqueios e encontrar a cura a fim de garantir o seu melhor desenvolvimento e crescimento pessoal.

Conclusão

tipos de psicoterapia - consulta com psicólogo
Consulta com psicólogo: o que você precisa saber antes de agendar. | Imagem: Freepik

E aí, conseguiu identificar qual é o tipo de psicoterapia que mais combina com você? Vale ressaltar que para definir a melhor opção você deve avaliar suas questões psicológicas e emocionais e quais são os seus objetivos.

Ah, e caso a sua queixa seja no âmbito familiar ou em um relacionamento, saiba que existem também as terapias de casal e familiar, sendo essas boas opções para resolver questões sistêmicas.

No mais, independente de qual for a sua escolha, tenha certeza que através do aplicativo Sarar você consegue encontrar bons profissionais para te atender com facilidade e economia. Clique aqui para saber mais e para agendar a sua consulta!

Se tiver ficado com alguma dúvida sobre o assunto, basta comentar aqui que nós te esclarecemos. Por fim, continue acompanhando o nosso blog para mais dicas e informações de saúde como essa. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *