fbpx

Quais exames de rotina devem ser feitos anualmente?

É como diz o ditado: melhor prevenir a remediar. Ou seja, é muito mais vantajoso e benéfico fazer exames de rotina anualmente para checar a saúde do nosso corpo do que tratar a doença em si, gastando tempo e dinheiro com consultas e remédios.

E é por isso que exames regulares são essenciais. Em poucas e boas palavras, avaliar seus fatores de risco para várias condições médicas, rastreio de câncer e outras doenças, bem como seus hábitos de vida, ajuda você a manter-se realmente saudável, reduzindo, e muito, o risco de desenvolvimento de doenças crônicas ou fatais.

As recomendações feitas pelos profissionais de saúde sobre a frequência dos exames de rotina são baseadas em fatores fundamentais tais como idade e a saúde atual. O ideal é que, ao completar 50 anos, devam ser feitos anualmente. Claro, o médico poderá sugerir mais ou menos tempo entre eles.

Também é preciso manter-se atualizado sobre vacinas e testes de triagem. Tanto para homens quanto para mulheres, os exames de rotina devem incluir revisão e atualização do histórico de doenças e familiar, e, se necessário, lista de medicamentos utilizados e alergias.

Exames de rotina para pessoas com enfermidades

Nos exames de rotina serão levados em consideração a pressão alta, obesidade com base no índice de massa corporal, uso do tabaco, álcool e drogas, depressão, HIV (para adultos de 15 a 65 anos e qualquer pessoa em alto risco) e hepatite C. E, ainda,

diabetes tipo 2, câncer colorretal (câncer colorretal começando aos 50 anos) e de pulmão (com uma tomografia computadorizada de baixa dose anual para adultos com idades entre 55 e 80 anos que fumam atualmente ou fumaram nos últimos 15 anos).

Exames de rotina para mulheres

Os testes de rastreamento adicionais para mulheres incluem uma mamografia para rastreamento de câncer de mama, entre 50 e 74 anos; papanicolau para rastreamento de câncer cervical, entre 21 e 65 anos; rastreio de colesterol alto, a partir dos 45 anos e rastreio de osteoporose, começando aos 65 anos.

Exames para os homens

Já para os homens, os mais importantes são triagem de aneurisma de aorta abdominal, de 65 a 75 anos com histórico de tabagismo; exame de próstata a partir dos 50 anos e rastreio de colesterol alto, a partir dos 35 anos.

O médico verificará o corpo do paciente em busca de sintomas tais como marcas incomuns, localização, tamanho, consistência e sensibilidade dos órgãos internos. Vai ouvir seu coração, pulmões e intestinos com um estetoscópio, usando uma técnica conhecida como percussão, que envolve bater em seu corpo como um tambor para detectar se há fluido em áreas onde não deveria estar.

No caso da mulher, com idades entre 21 e 65 anos, o profissional de saúde também pode fazer um teste de Papanicolau durante o exame físico. Após os procedimentos, o médico conversará com você sobre o que eles encontraram e dirá se precisará de quaisquer exames ou tratamentos adicionais. Fique atento sobre medicamentos de que possa precisar.

Durante a consulta seu médico deverá verificar sua pressão arterial, frequência cardíaca, taxa de respiração, temperatura e aparência geral. Esta é a sua chance de mencionar quaisquer reclamações ou preocupações sobre sua saúde.

Check-up médico: saiba quando e quais exames fazer

Existem pessoas que só procuram a ajuda de um especialista quando estão doentes, deixando de lado os cuidados com a saúde. Os médicos alertam que exames de sangue e outros de rotina precisam ser realizados anualmente. Muitas pessoas costumam ignorar sinais importantes, indicando que algo não vai bem com o corpo. Para que muitos problemas sejam evitados existe o check-up, uma avaliação que propicia o diagnóstico precoce de doenças em uma fase pré-clínica.

A idade recomendada para realizar as análises de laboratório é a partir dos 40 anos, tanto para homens quanto para as mulheres. Claro, isto não significa que os jovens não possam se cuidar. Bem pelo contrário, para ter uma vida saudável é preciso também manter uma dieta balanceada e praticar atividades físicas regularmente.

Exames mais importantes para ambos os sexos

Alguns dos exames de check-up médico mais indicados para os dois sexos, masculino e feminino, são:

Hemograma: serve para avaliar a quantidade de alguns elementos do sangue como hemácias, leucócitos e plaquetas;

Colesterol total e frações: mede o HDL (colesterol bom), o LDL (colesterol ruim) e triglicerídeos na corrente sanguínea. Este exame mede os níveis de diferentes gorduras no sangue, permitindo ao médico calcular o risco de bloqueio das artérias pela formação de placas e de complicações cardiovasculares, como infarto e AVC (derrame);

Triglicérides: avalia os níveis de triglicerídeos, forma química pela qual a gordura orgânica (lipídios) é armazenada no organismo;

Glicemia de jejum: mostra a taxa de glicose no sangue;

Hepatograma: recomendado para ajudar no diagnóstico de lesão hepática;

Tireoide (TSH, T4 e T3): é analisado o hormônio produzido por uma glândula situada na base do cérebro, a hipófise, que regula a produção dos hormônios da tireoide;

Curva glicêmica: serve para o diagnóstico do diabetes;

Ureia e creatinina: permite avaliar o funcionamento dos rins e identificar alterações de forma precoce, caso da insuficiência renal, que se desenvolve de forma silenciosa e só apresenta sintomas em graus muito avançados;

PSA(antígeno prostático específico): elevações no sangue indicam a instalação de câncer de próstata e outras alterações benignas na glândula. Em homens, recomenda-se fazer a dosagem a partir dos 45 anos.

Ácido úrico: pode indicar hipertensão e problemas cardiovasculares, além de representar um fator de risco para o desenvolvimento de dores articulares, gota, cálculo e insuficiência renal;

Urina: avalia a dosagem de elementos como glicose, proteínas, hemácias e leucócitos e a presença de bactérias. Alterações indicam distúrbios no funcionamento dos rins e infecções urinárias.

Check-up para mulheres

Agora que você já sabe quais são os exames que devem ser feitos no check-up masculino e feminino, veja os exames recomendados para mulheres:

Mamografia: para aquelas acima dos 40 anos. Imagem radiográfica da mama e realizado para diagnóstico precoce do câncer, mas lembre-se: o autoexame de mama continua sendo necessário!;

Papanicolau: serve para prevenir e diagnosticar o câncer no colo de útero e deve ser feito por mulheres em atividade sexual;

Colposcopia: visualização do colo uterino e indicado quando o papanicolau apresenta resultados anormais;

Check-up para Homens

Como todos sabem, a anatomia e fisiologia dos homens e mulheres são diferentes, portanto, confira a lista de exames para o check-up masculino:

Próstata (toque retal): para aqueles sem histórico familiar de câncer devem fazer o exame após os 45 anos. Os que já têm casos na família devem ser avaliados a partir dos 40 anos.

Outros exames

Teste ergométrico: avalia o funcionamento do sistema cardiovascular quando submetido a esforço físico progressivo. Pode ser feito em bicicleta ou em esteira ergométrica. É pedido quando existe histórico de problema cardiovascular na família ou para a realização de atividades físicas.

Eletrocardiograma: requisitado para avaliar o funcionamento do coração em repouso;

Ecocardiograma: estudo da estrutura anatômica e do funcionamento do coração por meio da ultrassonografia. É possível saber a origem de sintomas como falta de ar, taquicardia e dor torácica, arritmias e isquemias.

Os prós e contras das consultas médicas online

Com o advento da tecnologia e o mundo virtual, as consultas médicas online realizadas por videoconferências, aplicativos de smartphone e sistemas de gerenciamento online conectam mais pacientes com provedores do que nunca. A novidade vem ganhando adeptos rapidamente e sua popularidade está ligada ao fator conveniência.

Vantagens das consultas médicas online

Com as consultas médicas online é possível acessar o médico em qualquer lugar e a qualquer hora, no escritório, viagem de negócios ou férias, e no momento certo. Além disso, é ideal para quem mora em áreas rurais ou locais remotos, que não podem sair de casa, ou simplesmente faltar ao trabalho.

Outra grande vantagem é que não é preciso aguardar por vários dias até a realização da consulta, bastando apenas acessar um login, preencher um formulário e ficar frente a frente com os mais variados especialistas e acesso altamente especializado.

A praticidade ajuda a evitar que pessoas procurem saber mais sobre diagnósticos e medicações utilizando sites de busca. O que, inclusive, é um risco para quem sofre com uma doença grave e decide substituir as soluções de um especialista e tratamento adequado por indicações de páginas de website.

Com a consulta médica online também é possível acessar os testes virtualmente e ter os remédios entregues em casa. Todos os questionamentos do paciente são respondidos e a privacidade é garantida por páginas seguras. Ou seja, economia de tempo e dinheiro, e o paciente tem o resultado de exames nas mãos de uma forma rápida.

Os serviços remotos de análise, monitoramento e armazenamento eletrônico de dados reduzem significativamente os custos dos serviços de saúde, economizando dinheiro para pacientes e companhias de seguro.

Outra vantagem é a diminuição de visitas desnecessárias e não urgentes, eliminando as despesas de transporte para exames regulares. Iniciativas de maior envolvimento entre a população também podem reduzir as taxas de obesidade e o uso do tabaco, ajudando a encorajar as escolhas de estilo de vida mais saudáveis.

Desvantagens das consultas online

Apesar das diversas vantagens, a tecnologia também apresenta alguns pontos negativos. São grandes as chances de alguma informação ser interpretada de forma errônea. Além do mais, um paciente pode omitir detalhes sobre sua doença por não estar ciente dos sintomas.

Um diagnóstico físico mais detalhado é importante para que o médico possa receitar a medicação, e isto não é possível de ser feito remotamente. No caso das consultas tradicionais, os clientes podem trocar de médico caso não estejam satisfeitos com o atendimento.

De forma online, as opções ainda são limitadas para a avaliação do serviço prestado. Isto sem falar nos constantes problemas técnicos e práticos para os provedores de saúde. Além disto, é preciso reestruturar as responsabilidades das equipes de TI e comprar equipamentos leva tempo e custa dinheiro.

Como decidir se vale a pena?

Depois de conhecer os prós e os contras da utilização da tecnologia, antes de mais nada, o paciente deverá fazer alguns questionamentos, tais como:

  • Há possibilidade de ter uma segunda opinião?;
  • Qual o tempo de espera para que possa se conectar com o especialista?;
  • De que forma pode fazer o cancelamento?;
  • Até que ponto o histórico médico poderá ser seguro e confidencial?;
  • As consultas online são realmente convenientes?.

O ideal é se inscrever para uma avaliação de atendimento virtual gratuita e obter mais informações.

Autoexame de mama preventivo: saiba como fazer

O câncer de mama é o mais frequente na mulher brasileira e apresenta alta letalidade. Nesta doença, ocorre um desenvolvimento irregular das mamas, que se multiplicam até formar um tumor maligno. Uma das formas de prevenção, mas não a principal, é o autoexame de mama.

O Ministério da Saúde, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) e a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) orientam a mulher a palpar as mamas toda vez que sentir um desconforto, a qualquer hora, seja no banho, no momento da troca de roupa, ou em outra situação do cotidiano. Não é preciso se preocupar com uma técnica muito específica ou periódica.

Nunca deixe de tomar outros cuidados preventivos e visitar o ginecologista regularmente. Somente um profissional qualificado poderá fazer a apalpação adequada ou solicitar exames de imagem quando necessário. Com o autoexame, geralmente a mulher não consegue identificar pequenos caroços (com cerca de 1 cm) ou que ainda estejam restritos ao ducto mamário.

Como fazer o autoexame de mama

É simples. Todas as mulheres a partir dos 20 anos podem fazer o autoexame de mama. Como os seios ficam inchados antes e durante o período menstrual, os médicos recomendam a ação 7 dias depois do início do sangramento. Para aquelas que já estão na menopausa, o ideal é escolher uma data fixa todos os meses.

Para ser eficaz e completo deve ser feito, segundo recomendações de médicos e entidades especializadas no tratamento do câncer de mama, de três formas: a primeira na frente do espelho, durante o banho e deitada.

No espelho

Tire a blusa e o sutiã e fique em frente ao espelho com as mãos na cintura. Ao olhar as mamas no espelho, fique atenta a mudanças como achatamento, saliência, enrugamento, vermelhidão e aspereza. No autoexame de mama no espelho, verifique o tamanho, formato e o contorno das mamas. Observe se há alterações na aréola ou no mamilo e se o sutiã deixa marcas em apenas um dos seios, indicando inchaço.

No chuveiro

Com um dos braços erguidos colocados por detrás da cabeça, apalpe e pressione os seios, sempre atenta para alguma alteração. Pressione os mamilos e confira se eles expelem algum líquido da cor vermelha ou algo anormal. Durante o autoexame de mama, certifique-se se há regiões mais densas ou caroços. Faça os mesmos movimentos circulares na região das axilas para ver se há algum nódulo palpável.

Deitada

Posicione uma de suas mãos sobre a cabeça e com a parte interna dos dedos da outra mão, pressione a mama no sentido de fora para dentro, em movimentos circulares. Observe o engrossamento do tecido mamário. Repita a metodologia no lado direito e esquerdo do corpo. Os passos são extremamente importantes para que nenhuma anormalidade passe despercebida.

Fique atenta a todos os sinais no autoexame de mama

Fique sempre atenta para sinais como mama inchada, mamilo secretando líquido, irritação ao redor do mamilo, pequenas feridas ou lesões na mama, caroços perceptíveis, veia dilatada, surgimento de rugas, mamilo que muda de posição ou virado para dentro e dores nas mamas e axilas.

Se você percebeu alguma alteração nas mamas durante o autoexame de mama, procure imediatamente o ginecologista ou o mastologista (médico especialista em mamas). Sem esquecer que toda a mulher deve realizar a mamografia a cada dois anos para quem está na faixa etária dos 50 aos 69 anos. Mas a melhor forma de prevenção do câncer de mama é a adoção de um estilo de vida saudável, alimentação equilibrada, atividade física, evitando o consumo do álcool e do cigarro.

Por que a alimentação saudável é a base para o bem-estar?

Quais os verdadeiros benefícios de uma alimentação saudável para a saúde? Podemos dizer que são vários, pois uma refeição equilibrada fornece energia e nutrientes ao corpo, controlam a pressão arterial, previnem a obesidade, alguns tipos de tumores, e, ainda, liberam neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, aspectos fundamentais em tempos de transmissão de doenças.

Uma alimentação balanceada também está ligada à disposição e à resistência física. Para obter bons resultados, é preciso combinar com a prática de exercícios físicos, horas de sono e ingestão de água, reduzindo assim os níveis de estresse, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais, disfunções do fígado e rins.

É bom lembrar que a falta de nutrientes pode causar a desnutrição. Hábitos alimentares ruins a médio ou longo prazo provocam desequilíbrios metabólicos e hormonais graves como aumento do colesterol, insulina e da glicose no organismo e deficiência de vitaminas do complexo B, cansaço frequente, distúrbios do sono e alterações dos hormônios sexuais.

Como é o cardápio ideal?

Para quem tem dúvida sobre quais alimentos colocar no prato, o ideal é seguir uma dieta colorida. Por exemplo, frutas e verduras amarelas e laranjas são fontes de vitamina A, e os vegetais verde-escuros, de ferro.

É importante consumir frutas e verduras da estação. Vegetais como alface, berinjela, chicória, beterraba, cenoura, chuchu, mandioca, batatas doce e inglesa, cará, inhame, milho verde e grande parte das demais hortaliças apresentam época de safra durante todo o ano.

O Ministério da Saúde faz recomendações específicas e destaca três aspectos necessários na formulação de um cardápio ideal, tais como:

  • Variedade (comer diferentes tipos de alimentos pertencentes aos mais diversos grupos);
  • Moderação (não devemos comer nem mais nem menos do que o organismo precisa);
  • Equilíbrio (ou o famoso, “de tudo um pouco”).

Sendo assim, faça pelo menos três refeições por dia (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis. Inclua seis porções do grupo de cereais, dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural.

Além disso, evite ao máximo tomar refrigerantes e industrializados como hambúrguer, charque, salsicha, linguiça, presunto, salgadinhos, conservas de vegetais, sopas, molhos e temperos prontos.

Antes de consumir o produto é importante consultar o rótulo e dar preferência àqueles com menor teor de sal ou açúcar. Pois, além de baixos valores nutricionais, possuem alta concentração de gordura, sal e açúcar, prejudicial para a saúde.

Fique longe dos lanches rápidos fora de casa, principalmente dos fast foods ou comidas prontas. Inclua duas porções de frutas e alimente-se em um local tranquilo. Seguir estas regras é fundamental para uma vida mais longa e repleta de qualidade de vida.

Alimentação saudável em tempos de pandemia

É bom ressaltar que em tempos de pandemia, é preciso (e muito) aumentar a imunidade do nosso corpo, a capacidade do organismo de se defender dos invasores presentes em todos os ambientes, tais como vírus, bactérias ou fungos causadores de doenças. Quando ela está baixa, é grande o risco de termos pequenas e grandes infecções e quadros gripais.

Nestes casos, o melhor é fazer adaptações nas refeições, reforçando a ingestão de vitaminas, minerais e outras substâncias, incluindo as frutas cítricas, feijão, lentilha, ervilha, oleaginosas, tomate, e outros. Lembre-se: a alimentação adequada e saudável é um direito humano básico que envolve a garantia ao acesso permanente e regular, de forma socialmente justa.

Agendamento online: como agendar consultas em alguns cliques?

A praticidade tornou-se um termo comum e constante na sociedade, inclusive na área da saúde, com a denominada telemedicina. Por meio de sites e aplicativos fáceis e práticos de usar, as consultas médicas têm sido mais acessíveis inclusive no agendamento online. Confira a seguir como funciona.

Como agendar consultas online passo a passo

O primeiro passo é encontrar um médico de seu interesse. Ele pode estar disponível por meio de sites ou aplicativos de auto atendimento. Busque um site de sua confiança ou um aplicativo virtual, responsável por prestar o serviço de telemedicina para pacientes. 

Agendamento online em site

No navegador de internet do seu computador ou smartphone, acesse o site de seu interesse e que tenha essa funcionalidade. Digite  www.nomedaclincia.com.br (por exemplo) ou siga as instruções disponíveis na página. 

No geral o modelo é esse:

  • Procure o campo ‘agendar consulta’ e clique  com o botão esquerdo do mouse;
  • Escolha a especialidade:  clínico geral, cardiologista ou dermatologista, por exemplo;
  • Caso possa, escolha por quem quer ser atendido. Caso não, siga adiante agendando a sua consulta.

Analise se na página exibe o horário específico para o atendimento ou se será por espera online. Em caso de espera online, você deve realizar o login um pouco antes do horário determinado e aguardar o contato com o médico na tela. 

Agendamento online por meio de aplicativo

Cada clínica de telemedicina atende de uma forma específica, no entanto, alguns padrões são gerais, para facilitar  o atendimento ao usuário.  

No atendimento online por meio de aplicativo é preciso:

  • Realizar o download gratuito do aplicativo na sua loja do smartphone;
  • Criar um perfil de usuário com seus dados pessoais e responder às perguntas solicitadas;
  • Selecionar qual especialidade está procurando. Caso não exista um campo em específico com essa finalidade, deixe o aplicativo te guiar até o atendimento médico.

Uma dica útil para tornar o atendimento mais prático é deixar anotado em uma folha de papel ao lado, a data do início dos sintomas, medicamentos de uso contínuo e alergias, caso possua.

Um bom exemplo desses aplicativos é o Sarar. No app Sarar você tem acesso às melhores clínicas, agendamento agilizado e até 70% de desconto em exames laboratoriais e consultas de dezenas de especialidades.

E o melhor de tudo: Você não paga mensalidade e nenhuma taxa para agendar sua consulta!

Os benefícios da telemedicina para os pacientes

A ideia de um atendimento médico remoto há 50 anos,  seria assustadora para a maioria. Não ter um médico na sua frente, analisando seus sintomas com o toque da mão, seria inacreditável. 

Hoje é uma realidade, não apenas satisfatória, como benéfica. A telemedicina faz uso de recursos do nosso dia a dia para encurtar a distância entre médicos e pacientes, trazendo inúmeras vantagens. 

Dentre alguns dos benefícios da telemedicina para pacientes podemos citar:

  • Velocidade do atendimento –   em muitos casos,  o paciente  pode ser atendido no mesmo dia do agendamento;
  • Ter atendimento médico em áreas remotas;
  • Praticidade – em especial para quem possui dificuldades de locomoção;
  • Custo baixo – o valor da consulta costuma ser menor, porque os custos do médico é menor em razão da estrutura;
  • Velocidade.

Toda mudança precisa de um período para total aceitabilidade, no entanto, a previsão da Organização Mundial de Saúde (OMS) é uma migração de mais de 60% dos pacientes para o universo da telemedicina em menos de 10 anos.

O que é quarentena e quanto tempo ela deve durar?

A descoberta do novo coronavírus deixou uma palavra em evidência: quarentena. Este foi um dos termos mais usados no jornalismo brasileiro entre março e julho de 2020, o auge da COVID-19 nos veículos de comunicação. Também é um termo importante para quem está se precavendo contra uma doença infectocontagiosa. Saiba mais sobre a quarentena a seguir.

Afinal, o que é quarentena?

Algumas doenças virais possuem o período de contágio. Em outras palavras, o período no qual as pessoas ao redor de quem está doente podem se contaminar. Para evitar que isso aconteça, a medicina criou o que chamamos de ‘período de quarentena’.

A quarentena é uma medida de saúde pública de isolamento para quem está com uma doença infectocontagiosa. O infectado deve, portanto, ficar em um ambiente sozinho para evitar que outras pessoas se contaminem.

Esta medida de segurança foi instituída por meio de estudos sobre o comportamento de alguns vírus. Doenças virais são as grandes responsáveis por uma solicitação médica de quarentena. São exemplos: catapora, sarampo e a COVID-19.

Quanto tempo deve durar uma quarentena?

Apesar de o nome ser ‘quarentena’, estamos falando de um período de isolamento de 15 dias seguidos. O termo ficou em uso porque no início, o afastamento era de 40 dias mesmo. Acreditava-se que só após o período de um mês e uma semana as pessoas não estariam mais correndo risco de contágio.

Com o avanço dos estudos descobriu-se que na verdade não é preciso tanto. Com apenas 15 dias a maioria das doenças já não oferece riscos aos saudáveis. E isso somado ainda ao fato que esta quinzena está com margem de erro. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), com cerca de 12 dias o risco já está quase ausente. Esses três dias a mais são a margem de erro e segurança para garantir uma contagem correta.

Isso porque muitos pacientes não sabem ao certo identificar quando os sintomas iniciaram. Logo, podem informar a data errada e danificam a contagem do período no qual as pessoas ao redor correm risco de contaminação. Se a contagem estiver errada, a quarentena de 15 dias pode ser contada errada também, deixando os outros expostos. Enfim, a margem de três dias minimiza esse risco.

Como deve ser esse período de quarentena?

O isolamento solicitado por médicos para algumas doenças pode ser feito em casa ou no hospital. O determinante para isso é o estado de saúde do paciente. Se há risco de uma piora em casa, um hospital deve ser procurado com medidas preventivas. Pode ser necessário, por exemplo, uma solução de hidratação intravenosa e neste caso, o indicado é se dirigir a uma instituição de saúde.

Já a quarentena em casa deve ser feita com repouso e isolamento total. Se estamos falando de uma doença infecto contagiosa é importante separar todos os itens de uso do infectado. Ele não pode partilhar pratos, copos e talheres, por exemplo, nem toalhas. Deve tomar banho e ficar em um ambiente sozinho. O ideal é que o paciente fique sozinho em casa. Porém, como nem sempre é possível, o isolamento em um cômodo é indicado.

A hidratação e alimentação são importantes para o corpo combater naturalmente a doença. É crucial ainda acompanhar o quadro clínico e, em caso de piora, procurar um médico imediatamente.

E-saúde: Como a internet influencia no cuidado com a saúde?

A Internet é o tipo de invenção que não deu para ignorar por muito tempo. Por onde ela passa a transformação é garantida. Basta um simples toque em um segmento e tudo muda. Este é o caso da medicina. Com a e-saúde tanto pacientes como profissionais notaram mudanças significativas. Mas como esta parceria entre a web e o cuidado com o corpo funciona? O que muda? É o que você descobrirá a seguir.

Agora os pacientes são mais bem informados

Imagine-se precisando explicar sobre a metástase de um câncer de pulmão e suas pequenas chances de sobrevivência, para uma pessoa sem nível superior, sem internet e sem conhecimento sobre doenças. Um verdadeiro sacrifício, concorda? Neste quesito a internet veio para ‘transformar a água em vinho.’

A rede mundial de computadores, teve um enorme impacto na difusão de conhecimentos na área de saúde, e isso é importante também, para os médicos. Agora os profissionais estão com um paciente questionador do seu tratamento, que já entendeu um pouco do resultado do seu exame, porque procurou no Google. Isso às vezes pode ser ruim, é claro, mas em outros casos, pode ajudar bastante.

Um paciente informado, entende a gravidade da situação do seu diagnóstico e isso é bom. Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, cerca de 15% das pessoas, verificam na internet, o que é dito em um consultório. Este desejo de se informar aumenta as chances de tratamento, de credibilidade do médico e na busca da cura.

Na era e-saúde as pessoas se cuidam mais

Alguns profissionais da área médica veem esse excesso de informação de forma negativa, porque há quem deixa de ir a um consultório para pesquisar online. De fato isso existe, assim como pessoas tomavam chá, ao invés de ir ao médico, quando o www não era tão popular.

Mas podemos focar no lado positivo do e-saúde e analisar que, com tanta informação útil disponível online, as pessoas estão se cuidando mais. Por exemplo, com alguns cliques e poucos minutos é possível montar um cardápio para suprir uma deficiência de vitaminas. Esta mesma pesquisa demoraria um dia inteiro em uma biblioteca. 

Através do e-saúde, informações importantes chegam de forma rápida, transmitindo um conhecimento mais afundo dos riscos de algumas práticas no dia a dia, dos cuidados  diários necessários, trazendo dessa forma, muitos benefícios à saúde.

O atendimento online já é uma realidade

A revolução de fato aconteceu com a popularização do atendimento virtual. Agora é possível ser atendido sem deslocamento físico e com agilidade. Tudo isso era inimaginável há 30 anos atrás!

O atendimento remoto é sem dúvida a maior revolução do e-saúde e facilita a vida de muita gente. Muitos pacientes, podem ter acompanhamento à distância, principalmente os que moram em locais distantes dos centros urbanos, em locais menos acessíveis.

Por exemplo, os moradores de cidades do interior, os quais rotineiramente se dirigem à capital (muitos em transporte não adequado) em busca de consulta médica. 

Ainda é preciso explorar o e-saúde e todas as possibilidades de oferta para pacientes e médicos online. Contudo, esta é uma realidade que ainda tem muito mais a oferecer como benefícios, tanto para a rede privada como a pública de saúde.

Vale a pena fazer um plano de saúde para a família?

Com saúde não se brinca, concorda? Este é um tema que não deve ser protelado. É preciso, o quão breve for possível, pensar em garantir a assistência tanto para si quanto para a família. Aliás, o plano de saúde está aí para isso.

Há muitas vantagens e pontos importantes a levar em consideração quando se pensa em dispensar o plano de saúde. Saiba mais a seguir. 

O grande problema do sistema de saúde pública brasileiro

É fato que o sistema público de saúde brasileiro, o nosso querido SUS, vem recebendo elogios em diversos países em momentos especiais como a luta contra a COVID-19 e na erradicação de algumas doenças. Contudo, precisar dele ainda pode ser um problema. 

Hospitais e clínicas da rede pública fornecem todos os tipos de atendimento necessários. Há clínicas, internamento e cirurgias, por exemplo. Contudo, você já parou para pensar na oferta e demanda de tais serviços? Muito mais gente precisa do atendimento gratuito do que o sistema consegue suportar. 

Temos sim um bom sistema de saúde, mas com filas enormes. Isso sem contar outro ponto importante: ele depende de verba pública. Caso um governante resolva cortar verbas da saúde, todo o sistema sofre e o atendimento se torna ainda mais escasso. 

Porque fazer um plano de saúde para a família

O sentimento de ter certeza de ter atendimento médico para si e os parentes é, com certeza, reconfortante. Imagine-se na situação de precisar de um médico e precisar pegar ficha de atendimento de madrugada sem ter a certeza de que, ao chegar no dia, haverá um médico por lá. Esta é, infelizmente, a realidade da rede pública de saúde. 

Há ainda outros pontos a serem levados em consideração como motivadores para fazer parte de um plano de saúde. Confira!

Internamento hospitalar garantido

Desde o plano mais simples há uma certeza de internamento em um hospital porque o plano de saúde se prontifica a conseguir um leito. Os planos trabalham com redes credenciadas, sempre com mais de um hospital por perto para garantir essa demanda suprida.

Variedade de especialistas

As redes de saúde privada contam com prestadores cadastrados de diversos segmentos, proporcionando uma cobertura completa para diferentes enfermidades.

Os planos costumam ter sempre o máximo de credenciados em sua rede possível em uma mesma cidade para oferecer variedade de especialistas. Você pode encontrar seis cardiologistas, por exemplo. 

Fisioterapia acobertada

O encaminhamento para um fisioterapeuta com atendimento garantido é um alívio para quem precisa de tratamento de longo prazo. Em algumas cidades um fisio é inexistente na rede pública e em outras, o atendimento possui fila de espera de mais de um semestre. 

Exames cobertos

Qualquer avaliação médica simples exige uma quantidade significativa de exames. Imagine-se precisando pagar todos eles à vista para mais de um membro da família. Pode ser um problema financeiro sério. Até mesmo os exames mais caros como uma ressonância magnética possuem cobertura no plano de saúde.

Cobertura em procedimentos complexos de emergência

Alguns dos leitores podem pensar na grande vantagem de não pagar a mensalidade de um plano de saúde. Este ‘gasto’ deixa de ser vantagem quando há a necessidade de um procedimento cirúrgico, por exemplo.

A soma de internação, anestesista, procedimento e exames pré e pós operatórios pode corresponder a mais de dois anos de mensalidade. 

Você terá sempre atendimento médico, tendo dinheiro ou não

Guardar dinheiro infelizmente não faz parte da rotina financeira do brasileiro. Logo, podemos enfrentar um problema ao necessitar de atendimento médico de urgência. O plano de saúde traz proteção e segurança 24 horas por dia, não importa o quão apertado o orçamento está. 

A decisão de ter um plano de saúde é importante e deve ser tomada analisando as condições financeiras de cada família. Mas é importante saber que há muitas vantagens em ter atendimento médico garantido.

Quando procurar um urologista?

O urologista é o médico responsável por cuidar do sistema reprodutor masculino e do sistema urinário de ambos os sexos. Este tipo de profissional oferece atendimento clínico para diferentes faixas etárias e necessidades. Sobre quando procurar um urologista e os sintomas alarmantes  você descobrirá a seguir. Confira!

Quando procurar uma consulta com um urologista  pela primeira vez?

Ao contrário do que muitos pensam, não é apenas na fase adulta que deve ser consultado por um urologista. As crianças, podem ser consultadas com este tipo de especialista da área médica, quando apresentarem alguma má formação ou inflamação no trato urinário. 

Portanto, a criança deve ser levada a um urologista quando apresentar as seguintes condições clínicas:

  • Fimose;
  • Testículos não descidos – os testículos nascem foram da bolsa testicular;
  • Alterações urinárias;
  • Infecções urinárias de repetição – recorrentes.

Nos casos citados acima, o atendimento pode acontecer quando a criança ainda é um bebê, com encaminhamento do próprio pediatra. 

Já na  adolescência, pode ser feito uma consulta com este tipo de profissional para exames de rotina. O médico possui nesta fase o papel de orientar sobre doenças, infecções e cuidados preventivos.

Quando a visita ao urologista deve ser obrigatória

Após os 45 anos a visita ao urologista começa a ser obrigatória. Faz parte do check up anual para exames de rotina e rastreamento de possíveis tumores de todos os homens, sem exceção. 

O câncer de próstata, é uma das doenças responsáveis por maior número de mortes do sexo masculino. Contudo, o tratamento aumenta em mais de 70% as chances de sobrevivência, quando diagnosticado precocemente. E esse diagnóstico só é possível em uma consulta de rotina. 

Quando fazer uma visita ao urologista de emergência?

O ideal é todos fazerem uma visita de rotina ao urologista para checagem. É durante essas consultas, que o médico analisa exames de sorologia e pode diagnosticar doenças em sua fase inicial. Acima de tudo, uma visita anual ao urologista é recomendada por todos os profissionais de saúde. 

Mas caso, você sinta uma mudança no trato urinário ou no sistema reprodutor subitamente, poderá marcar uma consulta de emergência com o médico especializado.  

É importante ir ao médico se o paciente sente os seguintes sintomas:

  • Dores ou ardência ao urinar;
  • Mudança na coloração da urina sem o uso de medicamentos. Alguns remédios podem alterar a cor da urina temporariamente;
  • Mal cheiro na urina;
  • Febre, acompanhando alguma alteração citada acima na urina;
  • Incontinência urinária;
  • Cólica renal;
  • Bexiga hiperativa, ou seja, quando a bexiga contrai mais do que o normal;
  • Dores no ato sexual;
  • Impotência sexual;
  • Sangramento na urina;
  • Dores lombares, pois elas podem significar cálculo renal;
  • Dificuldades na ejaculação;
  • Sangue na ejaculação;
  • Dificuldades com a ereção.

Você sabia que um urologista pode atender mulheres também?

Pouca gente sabe, mas um urologista pode atender mulheres também. Este tipo de profissional possui conhecimento  do sistema urinário masculino e feminino.

O que acontece, é que o sistema urinário feminino também é verificado em outras especialidades. Por exemplo, o ginecologista, cuida do sistema reprodutor feminino e do sistema urinário nos mesmos exames. Em suma, não se faz necessário procurar outro especialista para a mesma área.

Mas caso seja necessário, uma mulher pode  consultar com um urologista, sem problemas. O mais importante é não deixar de procurar um profissional da área de saúde, quando necessário.