fbpx

Quando levar o bebê com peito chiando ao pediatra?

Também conhecido como Síndrome do Bebê Chiador, a doença que acontece no bebê com peito chiando, na realidade, se chama Lactente Sibilante, e tem como sintomas chiado no peito e tosse frequente.

A doença ataca crianças na faixa etária equivalente a três anos de vida. E a procura pelo médico deve se dar quando costuma ser constante em um período de tempo equivalente a 2 meses.

Este barulho que tanto preocupa as mães pode estar relacionado a outros sintomas como tosse, coriza, obstrução nasal, falta de ar ou cansaço. As causas são a asma, bronquite, infecções virais, doença do refluxo gastroesofágico e malformações.

Em casos mais raros, os sons sibilantes de um bebê podem indicar a presença de uma doença crônica ou congênita, como a fibrose cística. Também pode ser pneumonia ou coqueluche. Se a criança, com menos de seis meses, tiver febre alta leve-o ao pediatra.

Mantenha a limpeza

Muitos são as aspectos associados à piora da sibilância, mas talvez o pior deles está no hábito prejudicial da mãe que fumou durante a gestação. E, também, lactentes expostas a vírus respiratórios, poluentes domiciliares como ácaros, fungos, baratas e peles de animais.

O aleitamento materno até os dois anos é o melhor fator de proteção, assim como ter sempre em dia o calendário das vacinas. Para que o bebê melhore, é preciso manter a higiene da casa, incluindo chão e mobílias; combater o mofo de paredes, armários e azulejos. Colocar uma capa antiácaros no colchão e travesseiro também é vantajoso e ajuda bastante.

Tratamento para bebê com peito chiando

O melhor tratamento é ainda a prevenção das crises. Tente manter o bebê em locais ventilados, sem aglomerações, ofereça uma alimentação equilibrada, com vegetais, frutas, peixes e grãos, reduzindo o açúcar e os alimentos processados.

A fisioterapia respiratória com a finalidade de remover a secreção pulmonar é recomendado para a síndrome. A mãe pode realizar o tratamento, feito, é claro, por um profissional da área, semanalmente, ou sempre que a crise aparecer. O tratamento é designado pelo pediatra e inclui o uso de medicamentos inalatórios, como corticoides ou broncodilatadores.

Sempre útil ter em casa

Para a mãe que enfrenta o problema é sempre útil ter em casa os seguintes equipamentos: umidificador para hidratar a ar; seringa de bulbo, para ajudar a sugar o muco das vias aéreas; nebulizador e soro fisiológico.